Get Adobe Flash player

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Ressaca provoca ondas gigantes e causa estragos na Praia do Frade Angra dos Reis

Uma forte ressaca registrada nesta quarta-feira (16/04) provocou ondas impressionantes no litoral Sul do Rio de Janeiro. No Frade Angra dos Reis, o mar agitado chamou a atenção de muitos curiosos. O mar chegou a avançar sobre toda a faixa de areia da praia do Bairro e do Condomínio do Frade, a força das ondas arrancaram palmeiras e destruíram muros do calçadão da praia. 


terça-feira, 15 de abril de 2014

Aprovado na Câmara reajuste de 7% aos servidores públicos municipais

O  reajuste de salário dos servidores da Prefeitura de Angra dos  Reis em 7%, foi aprovado pela Câmara de Vereadores na sessão ordinária desta terça-feira (15/04). O projeto foi enviado pelo gabinete da prefeita Conceição Rabha na semana passada e não foi aprovado devido a retirada do plenário da câmara dos vereadores de oposição no momento que a matéria era discutida, antes de ser posta em votação, o presidente da mesa se retirou para forçar uma nova tentava de negociação com o executivo, com isso a votação foi adiada por falta de quórum.

Os vereadores da oposição, Drº José Antonio,Helinho do Sindicato,Thimoteo Cavalcante,Jairo Magno, Chapinha do Sindicato e Cassia Caldellas votaram contra.

A líder do governo na Câmara, vereadora Lia Aguiar, explicou em sua pagina no facebook que a prefeitura tem que cumprir o que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal e, por isso, o reajuste de 7% é o máximo que a prefeita pode conceder no momento.
Vamos aprovar os 7 por cento para os servidores púbico porque temos clareza e certeza que e o máximo que a Prefeitura pode conceder de aumento sem prejudicar o andamento das demais políticas públicas.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Negro é espancado até a morte em linchamento no Espírito Santo

Jovem negro é espancado e morto no Espírito Santo

Um adolescente de 17 anos, Alailton Ferreira, foi cercado por um grupo armado com pedras, barras de ferro e pedaços de madeira. Ele foi alvo de um espancamento coletivo. Desacordado, o menino foi levado ao hospital, mas não resistiu e morreu na noite desta terça-feira.

Aos gritos de “mata logo” e de vários xingamentos, o espancamento aconteceu às margens da BR 101, na tarde do último domingo, no bairro de Vista da Serra II, cidade de Serra, há cerca de 30km da capital Vitória, no Espírito Santo. Só depois de duas horas de muita violência, a Polícia Militar chegou ao local, colocou o jovem na viatura e o levou até a Unidade de Pronto Atendimento. “Os policiais militares descreveram no boletim de ocorrência que foi necessário utilizar spray de pimenta para conter os populares” disse o delegado-chefe do DPJ, Ludogério Ralff.

O motivo do linchamento foi causado por acusações controversas. Alguns disseram que o jovem teria tentado estuprar uma mulher. Outros que ele seria suspeito de tentar roubar uma moto e abusar de uma criança de 10 anos. Tudo ocorreu no domingo, mas até esta quarta-feira, dia em que Alailton foi enterrado, não havia qualquer denúncia ou relato de testemunhas, segundo a Polícia Civil.

O irmão contesta as acusações e diz que o adolescente sofria de problemas mentais: “Ele chamou a menina, ela se assustou e correu para chamar a família. Os familiares e vizinhos correram atrás dele. Por isso as pessoas falaram que ele era estuprador. Se ele quisesse roubar uma moto, teria feito no próprio bairro, mas ele nem sabe pilotar”. Segundo o tio do jovem, foi um ato de covardia. “Ele estava com uns problemas de saúde e ficava assustado com frequência”.

O morador Uelder Santos, 29, em entrevista para um jornal também colocou as acusações sob suspeita: “Ninguém viu esse tal estupro ou mesmo noticias da suposta vítima”.

Em entrevista a um jornal, a mãe de Alailton, a doméstica Diva Suterio Ferreira, 46, disse que o filho teria sido vítima de uma injustiça.“Ele já foi preso por furto, usava droga, mas não estuprou ninguém, jamais faria isso”. Cristã, disse que se apega a Deus para socorrê-la nesse momento difícil: “Meu filho era amado, sonhava em me dar uma casa. Dizia que queria um quarto para ele, um para mim e um para irmã. Minha filha, de 11 anos, só chora, tem medo de sair à rua depois do que aconteceu. Acredito na justiça divina. Peço que essas pessoas peçam perdão a Deus pelo que fizeram ao meu filho”.

O escritório das Nações Unidas apresentou nesta quinta-feira um levantamento sobre as taxas de homicídio em que conclui que as Américas são as regiões mais violentas do planeta. O Brasil está entre países mais violentos. Das 30 cidades mais violentas do planeta, 11 são brasileiras. Segundo a publicação, Maceió é a quinta cidade do mundo com mais homicídios por cada 100 mil habitantes. A cidade de Vitória do Espírito Santo, vizinha ao local onde Alailton foi assassinado por populares, é a 14ª da lista mundial.

Não gosto de suposições, por isso fico nas perguntas: qual seria o resultado de uma amostragem com o recorte racial das vítimas desses homicídios em toda América? Teríamos uma proporção parecida com a média brasileira, que aponta 70% de vítimas negras?

Não sei se Alailton estuprou alguém. Era mulher feita ou uma criança de 10 anos? Ambos os crimes são gravíssimos. Mesmo que tenha sido uma “apenas” uma tentativa ou ainda que o jovem tivesse problemas mentais, sem dúvida caberia alguma punição. E a Lei prevê. Mas jamais um linchamento. Jamais!

E pior: nada leva a crer que houve de fato o crime. Aliás, ao que parece (não sou investigador, nem gostaria), ele teria sim sido “vítima de uma injustiça”, como disse a mãe doméstica.

O fato de ser um menino negro teria sido um elemento potencializador do ódio coletivo e da precipitação de um julgamento instantâneo – acusação, julgamento, condenação e execução: Foi ele! Pega ele! Só pode ter sido ele!?

E se fosse um menino branco, a história teria tais requintes de crueldade e terminaria no cemitério?

domingo, 13 de abril de 2014

Antigo sapateiro pode ser o homem mais velho do mundo com... 179 anos

"A Morte esqueceu-se de mim"

Um sapateiro aposentado da Índia alega ter nascido em Janeiro de 1835, o que faz de Mahashta Mûrasi não só o ser humano mais velho do mundo, mas também o homem que mais anos viveu na História, de acordo com o Guinness World Records.As autoridades indianas divulgaram que o homem nasceu numa casa em Bangalore no dia 6 de Janeiro de 1835 e a partir de 1903 passou a viver em Varanasi onde trabalhou como sapateiro até 1957, quando se aposentou aos 122 anos. “Estou vivo há tanto tempo que os meus bisnetos já morreram há anos.De algum modo, a morte esqueceu-se de mim. E agora já não tenho esperança. Ao olhar para as estatísticas, ninguém morre com mais de 150 anos, muito menos com mais de 170. Neste ponto acho que sou imortal ou algo assim”, explicou Mûrasi. Segundo um jornal local, todos os documentos de identificação do homem confirmam a sua versão, mas até ao momento, nenhum exame médico confirmou a veracidade da sua alegação. O último profissional de saúde que Mûrasi visitou morreu em 1971, de modo que são escassas as informações sobre o seu histórico médico. 

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Cartaz da XVII FESTA DO PEÃO - VOLTA REDONDA-RJ

Programação de shows
Sexta-feira (11)
20h - Abertura dos portões
0h30 - Jorge e Mateus

Sábado (12)
20h - Abertura dos portões
1h - Capital Inicial

Domingo (13)
18h - Abertura dos portões
21h30 - Imaginasamba
23h - Gusttavo Lima

Joaquim Barbosa é hostilizado na saída de um bar em Brasília

Alguns jovens, que seriam militantes do Partido dos Trabalhadores, hostilizaram o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, na saída de um bar, em Brasília, na última sexta-feira.
Segundo a "Folha de São Paulo", Barbosa foi chamado de "tucano" e "projeto de ditador" pelos manifestantes, que o seguiram quando ele deixava o bar Frederic Chopin, na região central da capital federal.
No vídeo é possível ver jovens gritando: "Dirceu, guerreiro do povo brasileiro" e chamando Barbosa de corrupto, Barbosa reagiu e questionou o grupo: “corrupto, eu?"
Internautas divulgaram o vídeo que mostra Barbosa sendo criticado no Youtube; veja:

Professor de jiu-jitsu que estuprou e matou enteado de 1 ano e 8 meses é estuprado na prisão por 20 detentos

Um caso de um padrasto que estuprou o enteado de 1 ano e 8 meses que aconteceu no fim de março deixou a população de Brasília indignada. O professor de jiu-jitsu Daryell Dickson Menezes Xavier espancou e estupro o enteado no fim de março em Taguatinga cidade satélite de Brasília. 

No dia 1º de abril o estuprador se apresentou com advogados a polícia foi ouvido e esta cumprindo prisão temporária de 30 dias. A mãe da criança publicou vários desabafos aqui no facebook vejam, "Agora nesse momento eu abro minha boca a todos! Não amenizei minha dor, mas comecei a fazer justiça à minha própria paz, ao meu próprio coração. Cara a cara com o assassino do meu neném! Eu o repudio!", escreveu. Ela ainda disse, "Eu entreguei minha vida e a do meu filho pra esse homem cuidar, eu acreditei no amor e na bondade dele, eu o apoiei, eu o amei, e aceitei seus defeitos sem saber que ele era algo muito pior, minha família inteira se encantou por ele, fomos acolhidos e acolhemos ele e seu filho", relata Gabrielle Estrela no texto. 

Fotos divulgadas hoje mostram o autor sendo medicado após ter sido estuprado e segundo informações ainda com pontos no fiofó ele foi abusado de novo na cadeia por presos revoltados com ele... Na delegacia, Daryell disse a ex esposa que estava possuído pelo demônio quando isso aconteceu. 

Apesar dele ter falado isso e agentes terem ouvido isso não pode ser acrescentado ao depoimento somente se ele declarar por escrito... Informações deram conta que na cela onde estava ele disse que era professor de jiu jitsu e que se caso alguém fizesse graça poderia se dar muito mal, ao que parece uns 20 juntarem nele e fizeram um estrago no autor.  

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Bebê de nove meses é acusado de assassinato no Paquistão


Um bebê de nove meses está sendo acusado por um tribunal da cidade de Lahore, no Paquistão, por tentativa de assassinato, de ameaçar a polícia e interferir em assuntos do Estado. O bebê, Muhammad Mosa Khan compareceu a uma audiência com seu avô e foi liberado sob fiança. O incidente que originou a acusação sobre a criança, de acordo com o advogado da família, Irfan Tarar, foi um dia que a polícia fez uma operação próximo onde a família do menino mora para investigar roubo de gás. Muhammad estava em um grupo com mais de 30 pessoas, que teriam lançado pedras contra os policiais. A maior idade penal no país é de 12 anos. O caso contra o menino contraria a própria legislação local. Há um movimento de críticos paquistaneses para que a acusação imposta ao bebê seja retirada pela Justiça.

NA SUA OPINIÃO, QUAL VEREADOR PODERIA SER O PRESIDENTE DA CÂMARA?

O DIRETOR ANDRÉ CONTINUA NO SPA DO FRADE?

AVALIA OS CINQUENTA DIAS DE GOVERNO DE CONCEIÇÃO RABHA & LEANDRO $ILVA, QUAL NOTA MERECEM?